A huge collection of 3400+ free website templates JAR theme com WP themes and more at the biggest community-driven free web design site
Início / Brasil / Brasil / Eleições 2022 / TSE: Confira as principais regras da propaganda eleitoral na internet

Brasil / Eleições 2022 / TSE: Confira as principais regras da propaganda eleitoral na internet

Resolução proíbe propaganda paga. Impulsionar conteúdo é permitido a candidatas e candidatos, partidos, coligações e federações partidárias

O Diário da Justiça Eletrônico (DJe) publicou, recentemente, a Resolução 23.610, que dispõe sobre as regras da propaganda eleitoral, do horário gratuito e as condutas ilícitas em campanha eleitoral. Confira os principais pontos do texto sobre propaganda na internet e imprensa, com as regras a serem cumpridas por candidatas, candidatos, partidos, coligações e federações partidárias durante a campanha das Eleições de 2022.

Segundo a resolução, é livre a manifestação de pensamento da eleitora e do eleitor por meio da internet. Ela só poderá ser objeto de limitação se ofender a honra ou a imagem de candidatas e candidatos, partidos, coligações ou federações partidárias, ou ainda se propagar notícias falsas.

Propaganda em blogs e páginas

A norma permite a propaganda eleitoral em blogs ou páginas na internet ou redes sociais das candidatas e candidatos, partidos políticos, coligações ou federações, desde que seus endereços sejam informados à Justiça Eleitoral.

Publicidade

Continuação da Matéria

Críticas e elogios em página pessoal

A publicação com elogios ou críticas a candidatas e candidatos, feitos por uma eleitora ou eleitor em página pessoal, não será considerada propaganda eleitoral. Poderá haver a repercussão desse conteúdo, desde que não haja impulsionamento pago de publicações com o objetivo de obter maior engajamento.

Propaganda paga na internet

É proibido veicular qualquer tipo de propaganda eleitoral paga na internet. A exceção fica por conta do impulsionamento de conteúdo, que deverá estar identificado de forma clara e ter sido contratado, exclusivamente, por candidatas, candidatos, partidos, coligações e federações partidárias ou pessoas que os representem legalmente.

A propaganda eleitoral paga na internet deverá ser assim identificada onde for divulgada. Por ser vedado o impulsionamento de conteúdo por apoiadores, esses anúncios deverão identificar como responsáveis a candidata, o candidato, o partido, a coligação ou a federação partidária.

A norma também proíbe a contratação de pessoas físicas ou jurídicas que façam publicações de cunho político-eleitoral em suas páginas na internet ou redes sociais.

Envio de mensagens

A resolução permite o envio de mensagens eletrônicas aos eleitores que se cadastrarem voluntariamente para recebê-las, desde que seus emissores sejam identificados e sejam cumpridas as regras da Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD). Formas de descadastramento precisarão ser disponibilizadas para a pessoa que não quiser mais receber as mensagens.

Proibição ao telemarketing e ao disparo em massa

A norma proíbe a propaganda via telemarketing. Também veda o disparo em massa de conteúdo eleitoral por meio de mensagens de texto, sem o consentimento prévio do destinatário.

Além de proibido, esse disparo pode ser sancionado como práticas de abuso de poder econômico e propaganda irregular. Nesse caso, a multa prevista varia entre R$ 5 mil a R$ 30 mil.

Publicidade

Continuação da Matéria

Direito de resposta

É assegurado o direito de resposta à propaganda na internet. Os abusos identificados podem ser punidos com multa, sendo que a Justiça Eleitoral poderá ordenar a retirada do conteúdo abusivo de páginas na internet e das redes sociais. Com relação à propaganda, a Justiça Eleitoral tem se pautado por intervir apenas e tão somente nos casos em que isso se mostre claramente necessário.

Propaganda na imprensa

Na imprensa, não será considerada propaganda eleitoral a divulgação de opinião favorável a candidata, candidato, partido, coligação ou federação partidária, desde que não seja matéria paga.

Fonte: Secretaria de Estado da Economia

Sobre marcelo

Meu nome é Marcelo José de Sá, sou o Diretor-Presidente e Editor-Geral do jornal Espaço. Nascido em 30 de março de 1969. Vivi grande parte da minha vida no município de Ceres; cidade ao lado da minha querida cidade de Rialma, onde está a sede do jornal Espaço, que envolve o site do jornal Espaço: www.jornalespaco.com. Peço a gentileza de todos acessarem este importante site, não só aqui no Brasil, mas em todo o mundo. A interpretação deste meio mundial de comunicação junto a toda humanidade é a de informar informações que ocorrem corriqueiramente em Rialma e nos demais estado e municípios do Brasil e do mundo. Noticiar sempre em primeiro plano a realidade dos acontecimentos. Evitar contradições com os demais meios que fugirem da ética profissional e nunca envolver com a corrupção. Levar as notícias no momento dos acontecimentos acontecidos. Nosso maior propósito. Deus.

Veja também

Estados / Goiás / BR-153: Ministério Público Federal apura condições de conservação da BR-153

Representante do órgão lembra que riscos de acidentes são maiores com a estação chuvosa e …